famili
Imprimir

10 regras de criação que diferenciam uma família sábia de uma família boa

Criação dos filhos, esse é um tema que gosto bastante de falar a respeito aqui no blog. E li uma matéria muito bacana sobre algumas “regras” que, em geral, são importantes para os pais se atentarem. Enquanto eu, Ana Lia, pensava em qual característica me encontrava, sabia que nem sempre estava na “família sábia”, mas sempre tentando acertar. A minha missão como mãe é criar meus filhos para serem pessoas do bem. E ao fazer esse teste me deparei com algumas situações que realmente nos faz repensar.

  1. Valorizar e estimular a independência

filhos

Numa família boa, os pais têm certeza de que os filhos terão sucesso na vida se acreditarem que podem fazer qualquer coisa. Já nas famílias sábias, os pais consideram muito mais importante que as crianças pensem que podem fazer tudo por conta própria.

  1. É difícil começar

2

O caminho rumo à independência parte do fato de que as iniciativas infantis devem ser valorizadas e estimuladas, como se fossem algo sagrado. Quando a criança começa a fazer algo, independentemente da idade, seus pais demonstram todo seu apoio.

Já quando algo dá errado, os parentes mais velhos dizem aos pequenos que apenas precisam tentar de novo.

  1. A confiança é a maior recompensa

3

Como é possível estimular a iniciativa própria nas crianças? Evite usar guloseimas para recompensar seu filho por todas as suas conquistas.

Nas famílias sábias, os pais recompensam a criança confiando nela. Se o pequeno já recebe tarefas a cumprir, significa que os mais velhos acreditam que ele possui condições de executá-las.

  1. O exterior não é o mais importante

4

Outro aspecto importante é que as mães dos futuros gênios nunca ficam obcecadas com a aparência.

Manter uma criança sempre perfeitamente limpa é um trabalho que consome energia demais, tanto da mãe quanto da própria criança. Enquanto isso, segundo algumas mães sábias, a roupa sempre limpa não é importante para o desenvolvimento da pessoa. Sem falar que os filhos não costumam ligar para a aparência exterior.

  1. Aceitar a bagunça

5

Em volta das crianças, geralmente o caos impera. Mas isso não é motivo de preocupação para os pais de uma família sábia, pois eles pensam assim: com crianças por perto, não existe ambiente perfeito. Sempre haverá algo caindo, derramando ou sujando.

Portanto, em vez de se tornarem obsessivos com a idéia de manter a casa numa situação ideal, eles preferem viver num ambiente confortável. A noção de que a ordem traz seus benefícios é introduzida aos poucos.

  1. É preciso gastar a energia

6

Os pais podem ficar cansados só de observar crianças. Durante todo o dia, elas correm e se divertem ao máximo, sem que ninguém tenha que gritar: “não corra“, ”não toque aí“, “fique quieto”.

Os pais desses pequenos inquietos acham que uma criança deve aproveitar a infância gastando toda sua energia. Assim, ao chegar à idade adulta, ele terá mais facilidade de encontrar seu caminho.

  1. Liberdade razoável

7

Nas famílias sábias, às crianças, muitas coisas são permitidas — no bom sentido. Até mesmo um novo desenho surgido na parede rende comentários maternos do tipo: “Veja só como nosso filho tem dons artísticos!”.

No entanto, há limites que não podem ser quebrados. Por exemplo, no que se refere ao respeito pelos mais velhos.

  1. Em casa, a mãe e o pai são os verdadeiros líderes

8

O respeito pelos mais velhos é estimulado nas crianças de famílias sábias desde cedo. Nessas famílias, cada filho sabe que seu pai e sua mãe vêm em primeiro lugar, qual é a função de cada um e que as crianças ocupam um segundo plano.

Logo, estas crianças dificilmente têm ataques de birra, se agarrando aos pais e gritando coisas como “faça isso“ ou ”eu quero”. Eles sempre tentam conseguir o que querem por conta própria.

  1. O autocontrole infantil existe

9

As famílias sábias não costumam ter o hábito de castigar as crianças tirando algo delas. No lugar disso, criam regras que prometem algum benefício em troca do bom comportamento. Assim, a criança não vive dentro de limites rígidos de proibições e castigos. Ela aprende a corrigir seu comportamento para seu próprio bem.

  1. Nada passa despercebido

10

Os psicólogos de hoje aconselham que os pais não elogiem os filhos por qualquer garrancho. Assim, estariam estimulando o desenvolvimento da criança. Mesmo assim, alguns pais sábios consideram importante valorizar toda e qualquer conquista.

Mesmo que o filho mostre um desenho formado apenas por traços sem sentido numa folha de caderno, a mãe encontrará algo de bom naquele trabalho. E, sobretudo, ela dará um jeito de mostrar o desenho a toda a família, dizendo o quanto se sente orgulhosa do filho por causa daquela obra-prima.

 

Fonte: incrivel.club

  • Hamilton Mendonça

    Muito bom texto!

  • Lia Clerot

    Fico feliz que tenha gostado Hamilton.

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot