Capturar
Imprimir

DO QUE O SEU CORAÇÃO ESTÁ CHEIO?

O nosso coração não é só amor, é também cheio de muitos outros sentimentos

Não temos somente sentimentos bons, momentos maravilhosos e de alegria — precisamos saber disso. Quando falamos de coração e sentimentos, falamos daquilo que nos move. O coração é muito vinculado àquilo que temos vontade de fazer, e é isso que acaba dirigindo nossas vidas. Sabemos que quando o coração sente ou quer algo, é muito difícil mudar isso. Entretanto, não podemos simplesmente fazer o que o coração manda. Muitas vezes é difícil mudar, é difícil separar o que o coração diz daquilo que a mente diz.

Pense bem: Você já teve de fazer uma grande mudança em seu coração? Já teve algo que realmente você amava e de repente aquele sentimento mudou? Talvez por alguma circunstância, ou porque você amadureceu, ou talvez porque uma pessoa lhe abriu os olhos para algo diferente etc. Um exemplo forte é a alimentação. Eu, por exemplo, sempre me alimentei mal. Comia muito fast-food e refrigerantes, não me importava com isso. Um dia eu comecei a cuidar da minha alimentação, a prestar atenção nos meus hábitos. Comecei a ler sobre as coisas que eu estava comendo, a refletir se aquilo fazia bem para mim e, então, mudei meu coração e minhas atitudes.

É esse tipo de mudança que eu gostaria que você refletisse. O que você já mudou em sua vida? Talvez você fosse uma pessoa cheia de aspirações, uma pessoa que depositava esperanças em muitas coisas mas, de repente, percebeu que não precisava ser assim, que não precisava ser tão rígido naquilo, que era melhor ser um pouco mais flexível, que era melhor aceitar mais as coisas e pessoas etc.

Essas mudanças parecem simples mas não são. É muito mais difícil ainda mudar o nosso coração e sentimentos em relação às pessoas, porque quando eu mudo algo em relação ao outro, estou querendo dizer que algo que eu tinha como preconceito ou como sonho, simplesmente mudou. Mudou porque talvez eu não conhecesse direito aquela pessoa ou tinha um “preconceito” em relação a ela. Entretanto, quando a conheci melhor, percebi que ela é completamente diferente daquilo que eu imaginava e, então, o meu coração mudou.

Quando temos de mudar a nossa atitude e coração em relação a alguém que não temos afinidade é mais difícil ainda. Escutar que você precisa perdoar uma pessoa, que precisa dar uma segunda chance a alguém, que precisa mudar a atitude do seu coração em relação a ela é muito difícil e complicado. Porém, nós não vivemos baseados nas emoções do coração. Existe uma frase muito conhecida que diz: “Eu quero seguir o meu coração”. Seguir o coração, às vezes, é pular de um precipício que não enxergamos o fundo.

Mas tudo isso são atitudes que temos em relação a pessoas. E quando temos de mudar o nosso coração em relação a Deus? Aí, sim, teremos de fazer uma reflexão muito mais séria e perguntar: “O que será que eu devo fazer diferente?” Às vezes você está na igreja, ou na sua casa, ou no seu carro e Deus usa alguém ou algo para falar com você, para dizer que você precisa se aproximar mais d’Ele, para dizer que o seu coração está duro, que o seu coração não está quebrantado, que você não tem escutado a Deus, que Ele está com saudade de você, da sua voz, da sua oração, do seu clamor. Muitas vezes não entendemos isso e achamos que está tudo bem porque fazemos o que é básico: vamos à igreja, damos o dízimo, temos um líder etc. Essas coisas são importantes como exemplo para as pessoas que estão ao nosso lado, que nos seguem ou acompanham, mas para Deus isso é apenas uma parte do caminho, é parte do nosso relacionamento com Ele. Nossa relação com Deus não pode se basear apenas em ir aos cultos e achar que está tudo certo.

Será que estou permitindo que o meu coração olhe para Deus de uma maneira diferente? Será que estou permitindo Deus falar comigo, será que estou tomando uma atitude certa? Será que eu não tenho fugido de Deus, pois não quero ouvir o que Ele tem para me dizer? Ou porque eu sei que o que estou fazendo não é correto? Ou que as atitudes que tenho tomado não são certas? Ou que os relacionamentos que eu tenho vivido não são lícitos? E então eu sigo vivendo uma vida apenas comum, mas meu coração e atitudes não estão cheios de Deus.

Quando Deus diz para você perdoar alguém, se aproxime daquela pessoa, pois Ele não a colocou em sua vida sem algum propósito. Viver no amor de Deus não é apenas viver na alegria, na felicidade, na euforia. Viver com Deus todos os dias tem seus momentos difíceis também, momentos de abrir mão de coisas que queremos, momentos de incertezas, de decisões.

A Bíblia mostra que Jesus veio para mudar o coração da humanidade em relação a Deus. Ele não veio apenas para ensinar as Escrituras, mas veio para nos ensinar a amar a Deus, a ter um coração cheio de Deus, a depender do Senhor em todas as coisas.

Jesus foi questionado por um homem da Lei, um homem inteligente, cheio de conhecimentos e conceitos; não era uma pessoa qualquer:“E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas?” (Lucas 10:25-26)

Como você lê essas perguntas? O que você acha que seria a resposta? O que você acha que Deus quer de nós? O que acha que Ele quer que façamos para sermos parte do Seu “time” e merecedores de habitar no céu? Por que você acha que Deus vai lhe escolher para herdar a vida eterna? Deus não quer ver nossas obras, Ele quer ver nossas atitudes. Suas atitudes hoje têm agradado aos homens ou a Deus?

Reflita!

Grande beijo, Lia Clerot.

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot