pri helena
Imprimir

Fim da licença maternidade: e agora?

Não tenho palavras que descrevam a explosão que é gerar um filho.

Foram nove meses incríveis envolvida com a gestação da minha 1º filha, Helena.

Maior que isso é quando ele nasce e uma explosão de amor, vida, felicidade brotam em uma proporção infinita dentro de nós!

Eu digo que é o ápice do amor x o ápice da exaustão! Tudo muito intenso!

licença maternidade

Dizem alguns cientistas que nesta fase o cérebro aumenta nas áreas do raciocínio, emoção e motivação a fim de enfrentarmos os desafios que nos esperam. Outros dizem que ele diminui para realmente desfocarmos de todo o resto.

Antes de engravidar eu questionava que a licença maternidade era muito longa. Que eu não iria dar conta de ficar tanto tempo em casa, sem trabalhar, ociosa… 

Como me enganei… De ociosidade esse tempo não tem nada! São meses dedicados em criar o bebê e esse comecinho não é fácil, exige TUDO de nós!

O tempo passa tão rápido, que quando você se da conta falta 1 semana para você voltar a trabalhar e o desespero bate na porta do coração e várias inquietações… Que dor! Que dúvida! Que tristeza! Volto a trabalhar? Fico mais tempo em casa?

Por outro lado, queremos voltar a rotina de se arrumar, colocar uma maquiagem, um salto, dirigir…

Eu tomei uma decisão radical em meio a esse turbilhão de pensamentos: vou parar de dar ouvidos a esses pensamentos e vou viver essa experiência da melhor forma possível! E deu MUITO certo!

Quero compartilhar com vocês 4 dicas para o fim da sua licença não ser o terror que tantos falam e sua volta ao trabalho ser leve.

licença maternidade

  1. Tchau, culpa!

Isso mesmo! Dê adeus a culpa! Na verdade, dê adeus aos gritos das suas emoções e tente racionalizar essa fase. Ficamos com um peso na alma de deixar em casa nosso bebezinho, tão indefeso e dependente, que só de pensar choramos. Perai! Você está indo trabalhar para dar uma vida boa a ele, para ele olhar pra você e a ter como exemplo de mulher batalhadora e guerreira! Ao invés de chorar pitangas, seja forte e principalmente, SEJA grata!

  1. Obrigada!

Sim, seja grata! Você tem um emprego, uma renda. E diante do nosso cenário de crise, se você está empregada agradeça! Treinei minha mente a agradecer sempre que a tristeza vinha a tona. Fiz isso milhares de vezes até que uma hora a culpa foi embora de vez!

  1. Quando chegar em casa deixe os problemas lá fora!

Desligue o celular, coloque um short e um chinelo e vá curtir seu filho! O que adianta ficar 24 horas com ele entretida no celular, na Tv, nos problemas? O que importa é o tempo de qualidade que você investe, 4 horas podem ser infinitamente mais significativas do que o dia inteiro se você priorizar esse tempo.

  1. Planeje-se

Não adianta pensar em como será sua rotina quando faltar 1 semana pra você voltar ao trabalho. Eu separei o último mês da licença para fazer todos os testes e escolher a opção que eu ficasse mais segura. Isso é muito importante para você trabalhar tranquila.

A maternidade é um presente de Deus! Não precisa ser o motivo das suas insatisfações nas outras áreas da sua vida! O tempo passa, outros deixares virão. Peça licença, deixe a dor passar e siga! Um beijo

 

Priscila Machado

 

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot