Capturarr
Imprimir

PERDOAR É AMAR

Quando perdoamos, não apagamos da memória o fato, mas curamos a dor conectada à lembrança

Perdão é algo muito pessoal e difícil de ser praticado. Às vezes nós perdoamos as pessoas e, outras vezes, apenas as desculpamos. Algumas pessoas dizem que não têm nada para perdoar, que não fizeram nada a ninguém, que nunca tiveram inimigos, que ninguém lhes faz mal etc. Entretanto, a atitude de perdoar está ligada à atitude de Deus em nos perdoar.

Às vezes passamos por determinadas situações que geram sentimentos de ira, raiva, tristeza, ressentimento, angústia. O perdão vem para tirar esses sentimentos, e não para cicatrizar ou simplesmente fazer esquecer o que aconteceu. Perdoar não significa que iremos esquecer o ocorrido, mas que tomaremos novas atitudes.

“Mas, quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas, de forma que ela não deu fruto. Outra ainda caiu em boa terra e deu boa colheita, a trinta, sessenta e até cem por um. E acrescentou: Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça”. (Marcos 4:6-9)

Vemos no texto acima que algumas sementes brotaram, mas logo foram sufocadas. Assim é a nossa vida se não liberarmos o perdão. Podemos até brotar, mas ficaremos sufocados. Aqueles sentimentos passam a nos controlar, a fazer parte do nosso dia a dia de tal maneira que não conseguimos crescer, mudar, melhorar em área nenhuma da vida. A falta de uma atitude de perdão impede a nossa multiplicação, seja em casa, no trabalho, na igreja etc., impede que a bênção do Senhor cresça e se desenvolva em nós.

O que significa a erva daninha? Amargura, rancor, ódio, indiferença etc. O perdão é um mandamento e se não entendermos que ele faz parte da nossa vida, não conseguiremos viver como as sementes que frutificaram. Para superar todas as nossas expectativas de vida, devemos aprender a perdoar.

“Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.” (Mateus 6:14,15)

Jesus diz que há uma conexão entre perdoarmos os outros e obtermos o perdão de Deus. Se recusarmos fazer a nossa parte, estaremos separados do Senhor. Às vezes queremos o perdão de Deus para nós mas não queremos perdoar o outro. Queremos simplesmente esquecer o ocorrido, mas não perdoamos de verdade. Não adianta orar, clamar, jejuar se o coração estiver cheio de amargura, pois as coisas não irão romper em nossas vidas.

Depende de nós dar o primeiro passo. Mas alguns dizem: “Você não sabe o que aquela pessoa fez comigo.” Às vezes não foi algo tão grave, mas o sentimento resultante, dependendo da pessoa, pode ser imenso devido ao seu histórico de vida, a tudo que ela já passou, e torna-lhe difícil dar esse primeiro passo. Perdão não é algo fácil de ser praticado. Todo ser humano tem dificuldade de perdoar porque é algo íntimo, do coração. Mas, para Deus nos perdoar, devemos liberar o perdão para as pessoas.

Todo mundo já errou muitas vezes na vida; estamos sujeitos a errar diariamente porque somos seres humanos. Se acharmos que podemos viver perfeitos, viveremos uma vida irreal, de frustração diária, pois iremos exigir de nós e de outros coisas que sabemos que não irão acontecer.

Quanto mais rápido perdoarmos, mais rápido seremos perdoados. Nós, também, muitas vezes, erramos com Deus, damos as costas a Ele, não ouvimos o que Ele diz, não recebemos o que Ele tem-nos dado e passamos a vida ignorando-O até que algo acontece e, nesse momento, acordamos para a nossa necessidade de Deus. Nessas horas, Ele não dá as costas para nós, mas nos perdoa, nos carrega em Seus braços, nos ensina a caminhar novamente em Seus caminhos. Esse é o verdadeiro perdão. Se quisermos verdadeiramente florescer, precisamos aprender a perdoar.

Beijos

Lia Clerot

publicidade-2
partners

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot