Perigos e cuidados com o uso da internet
Imprimir

Perigos e cuidados com o uso da internet

Veja minha entrevista para a Rádio Câmera sobre os perigos e cuidados com o uso da internet

Oi meninas, tudo bem? Recentemente fui convidada pela Rádio Câmara, para conceder entrevista para o programa Fator de Risco, apresentado pelo jornalista Humberto Martins, sobre o uso desenfreado da internet por crianças e adolescentes. Não é novidade para ninguém que pais precisam ser cuidadosos quanto ao uso desse acesso que tem o seu lado maravilhoso, mas também tem seu lado sombrio. Achei tão esclarecedor essa entrevista que resolvi colocar aqui para vocês darem uma lida. Tentei dá uma resumida para ficar mais clara para vocês. Vou deixar em forma de perguntas e respostas mesmo.

Ultimamente vem crescendo esse lado sombrio da internet como jogos de asfixia, automutilação, como que fica o adolescente no meio desse tiroteio?

Essa situação é meio complicada porque nós pais não conseguimos ficar 24 horas com nossos filhos, mas precisamos ficar atentos. Temos que tomar muito cuidado para que a internet não se torne algo negativo na vida da criança e do adolescente. Esses jogos são muito violentos e ensinam o contrário do que os pais ensinam dentro de casa. A ciência explica que nós aprendemos aquilo que, consequentemente, olhamos. Então não adianta a criança dizer para os pais que é só um jogo porque, infelizmente, aquilo acaba o atraindo. Os pais precisam verificar a faixa etária daquele jogo, ficar de olho no comportamento do filho, saber qual o intuito que ele está ali, o que ele ensina.

Você acha que existe o transporte desses jogos para a vida real?
Há uma grande possibilidade porque fazemos aquilo que vemos e pensamos. Por exemplo: uma criança que escuta palavras pesadas, consequentemente, ela vai começar a fazer o mesmo. Da mesma maneira pode acontecer com esses jogos. Mas tudo aquilo que colocamos limite pode ser controlado. Então se os pais estabelecer regras, acredito que não pode gerar problemas. Como muitos adolescentes que já atendi, grande parte passam muito tempo jogando videogame, aí pode ser um problema, não só de violência, mas de convívio social.

Todos nós que já passamos pela adolescência tínhamos essa necessidade de aceitação pelo grupo, só que hoje extrapolou aquela questão do grupo físico né?!

Hoje existe um grupo virtual que pais e mães não conseguem ver. Por isso que eu acho que jogos online deve ter uma idade mínima para participar. Uma criança de 9 e 10 anos não tem idade suficiente pra saber o que a pessoa do lado quer, quantos anos ela tem, é muito perigoso, então tudo tem que ter a presença do pai e da mãe . Tudo tem seu lado positivo e dá para usar a internet a favor. Como? Ferramenta de pesquisa é excelente, jogos educativos…

Hoje, podemos dizer que a internet virou a babá eletrônica das crianças?
Infelizmente sim. Tem crianças de 04, 05 anos que já têm seus tablets, então já tem acesso ao NetFlix, Youtube. Os pais, muitas vezes, por necessidade, para ter um momento de sossego, acaba deixando o filho ficar na internet. Temos que tomar cuidado e pensar até onde isso pode ser prejudicial à criança.

Quais seriam os sinais que os pais podem notar que isso pode está sendo prejudicial para criança ou adolescente?

Observar a mudança de comportamento. Se o filho não tem mais vontade de sair de casa, quer ficar o tempo todo nos jogos online, não gosta mais do convívio com os amigos, não quer mais sair com os avós, os jogos estão sempre em primeiro lugar. Se a criança é calma e começa demonstrar agressividade, claro que levando em consideração da mudança hormonal do adolescente, mas é claro que se for em excesso temos que observar.

Os pais também devem se atualizar na maneira de conversar com os filhos?
Com certeza, não adianta falar que “mais na minha geração era diferente, eu não fazia assim”. Os pais precisam ter diálogo, saber o que o filho gosta, com quem conversa é primordial para ajudar o filho. Os pais podem sim ser instrumentos de ajuda e de melhoria para que a criança e o adolescente sofra menos.

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot