Imprimir

Quando a ansiedade é um problema

Mãos suadas, aperto no peito e uma sensação de palpitação constante, quem nunca se sentiu assim antes de uma prova ou de algum momento importante da vida? A ansiedade, de um modo geral, é um mecanismo do organismo que estimula o indivíduo a entrar em ação, e por vezes é necessária e benéfica. “Quando estamos ansiosos, liberamos um neurotransmissor chamado noradrenalina, que provoca excitação do sistema nervoso central e acelera o funcionamento da nossa mente e também do nosso corpo, e esse processo, de forma controlada, ajuda o indivíduo a se precaver em algumas situações cotidianas, o grande problema é se a ansiedade começa a ser excessiva e causa sofrimento na vida da pessoa, a partir desse momento é que os cuidados devem ser tomados”.

Dados divulgados pelo Word Health Mental Survey, ligado à Organização Mundial da Saúde, revela que cerca de 20% dos moradores das grandes cidades brasileiras sofrem ou já sofreram algum tipo de transtorno ansioso. Para a especialista, a ansiedade é a porta de entrada para transtornos mentais mais sérios, como síndrome do pânico e depressão e é justamente por isso que ela deve ser identificada e tratada o quanto antes. Além dos problemas citados, se não controlada, a ansiedade pode causar enfermidades psicossomáticas, como gastrite, úlcera, hipertensão, dores de cabeça, alergia e uma série de outras enfermidades.

Algumas pequenas mudanças de atitude podem ajudar a controlar esse mal:

1-    Tire um tempo para você mesmo. É muito importante reservar um espaço na agenda corrida do dia-a-dia para fazer algo que dê prazer, como praticar algum esporte, fazer atividades culturais ou até mesmo uma massagem.

2-    Procure não dar tanta importância aos problemas. Tente resolver as coisas de forma mais serena, as vezes o nervosismo e a irritação deixam o problema muito maior do que ele é de verdade.

3-    Organize-se e não deixe nada pendente. Às vezes assumir mais responsabilidades e tarefas do que consegue fazer, pode desencadear um processo de estresse que certamente levará a uma crise ansiosa.

4-    Seja otimista. Ver sempre o lado bom das coisas sempre ajuda o indivíduo a viver melhor e mais feliz.

5-    Seja menos perfeccionista. O excesso de preocupação com as coisas tendem a prejudicar as relações pessoais e profissionais. Aceitar que nem tudo sai como planejamos é uma boa forma de se lidar com as adversidades da vida.

Em casos mais graves é preciso ajuda profissional. “Quando a ansiedade é uma patologia crônica, a pessoa deve ter acompanhamento e tratamento adequando, muitas vezes com medicação e terapias; é preciso estar atento aos sintomas para não deixar que esse mal evolua para algo mais sério e nesses casos ajuda médica e psicológica é fundamental.

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot