Imprimir

Quem Ama, Educa! Uma reflexão do psiquiatra Içami Tiba

Quando eu soube da morte do psiquiatra e educador Içami Tiba lembrei do livro Quem Ama, Educa, leitura indispensável para os pais. Ele que estava internado para tratamento de um câncer desde janeiro deste ano, era um grande educador, com textos riquíssimos em conhecimento.

Como forma de agradecer o seu legado e até para nos lembrar de ensinamentos tão preciosos, segue um resumo do livro Quem Ama, Educa. Para pais e para aqueles que planejam um filho.

Quem Ama, Educa. 

Existe o SIM e o NÃO. Pais frágeis e mães hipersolícitas geram os parafusos de geléia, que espanam ao menor apertão quando contrariados, não suportam o NÃO. Serão adultos sem senso de ética, gratidão, civilidade, recebendo mesada aos 30 anos, vendendo a casa e colocando pais em asilo = mostram o egoísmo animal.

O que gera o Parafuso de Geléia: Avós Autoritários –> Pais Permissivos –> Parafusos de Geléia.

Auto-estima:fonte interior da felicidade; desenvolve-se durante toda vida à medida que a pessoa se sente segura, capaz de realizar seus desejos e tarefas.

Importante frisar para a criança que o amor incondicional dos pais não está em jogo, mesmo que reprovem certas atitudes, deve-se respeita-la, que significa:

1- Deixar expressar seus sentimentos de maneira socialmente aceitável. Ex: a raiva não pode ser expressa agredindo-se alguém.

2- Aceita-los como são, pois vieram realizar seus próprios sonhos e não os dos pais.

3- Não julga-los pelas atitudes, aprendemos errando. Não chamar a criança de terrível ou egoísta, p.ex., condenar a atitude e a ação egoísta, mostrando que ela pode agir de modo diferente.

O respeito ensina que a criança é importante simplesmente por existir, não pelo que faz.

Só o AMOR não educa mas deixar a criança assumir a responsabilidade pelo que faz.

Proibições: quando algo é proibido, substitua por alguma coisa para ela fazer, a simples proibição é paralisante. Educação é usar a criatividade para o bem comum.

Estilos comportamentais de Agir: Vegetal, animal e Humano.

-O vegetal somente espera, sem agir. Ex: mãe que deixa filhos engalfinharem, pai que acha que somente por ser o provedor do lar nada mais precisa fazer.

-O estilo animal, em suma, usa a Lei do Mais Forte:

– sem racionalidade;

– repete os erros;

– não inova;

– guiado pela vontade, pelo impulso, egoístas;

– sem ética relacional ou normas sociais;

– Pais exploram, negligenciam ou violentam os filhos. Protegem contra repreensões merecidas, insistem na mesma bronca (eu, na sua idade…), a mãe que sempre arruma o quarto, o pai que protege a namorada.

– A adolescência paterna não serve de modelo >>> os padrões são outros.

Estilo Humano:

busca a felicidade integrando disciplina, gratidão, religiosidade, ética e cidadania para perpetuar a espécie, preservar o meio ambiente, construir a civilização.

– A mãe integrada ajuda na arrumação do quarto, mas não o faz sem o filho, importa ensina-lo a cuidar do ambiente em que vive e das suas coisas.

Felicidade >>> existem diversos níveis de felicidade, mas a que importa é a SOCIAL = fazer o bem, não importa a quem, e não fazer o mal a ninguém. Se os pais vivem esse nível, os filhos também viverão.

A arte de ser mãe e pai é desenvolver os filhos para que se tornem independentes e cidadãos do mundo.

 

Parte 02 >>> Caminhos para uma nova educação

Estimula a participação do pai na criação dos filhos desde a gravidez (PAI GRÁVIDO), visto que historicamente somente a mulher cuidava dos filhos, até por questão de sobrevivência da espécie, hoje, sob novos padrões, a participação do homem pode e deve aumentar, sendo o pai solidário e colaborando na educação dos filhos de modo mais participativo (PAI INTEGRADO), nos afazeres domésticos, sendo tudo combinado em comum acordo.

No Capítulo 2 desta parte, o autor descreve cuidados com o filho no 1o. ano, leitura obrigatória para quem tem criança nessa fase e impossível de apresentar satisfatoriamente em resumos.

O capítulo 3, filhos não vêm com manual, orienta 5 passos para uma educação integral: parar, ouvir, olha, pensar e agir. Indispensável.

O capítulo 4 aborda situações críticas com a chegada de um irmão, birras, mentiras, etc.

O capítulo 5 envolve o auxílio de terceiros, da babá aos avós, passando por creches e escolas.

O leitor encontrará nos capítulos 06, 07 e 08, conteúdo para lidar com a separação, segundo casamento, drogas, videogames, mesadas, educação sexual e temas cotidianos.

 

Parte 03: Consta de um pequeno Manual de Mãe &Pai, para a educação dos filhos, subdivido em nove itens, como auto-estima, ética, cidadania, papos e comida, hora de estudar, relacionamento entre irmãos.

 

Parte 04 : Contém 29 questões do público, coletada em palestras dos autores. O sumário sintetiza as perguntas destacando as áreas de interesse.

O autor define que os filhos são como navios. A maior segurança está no porto, mas eles foram construídos para navegar nos mares. Para lá os filhos levarão conhecimentos e trarão novidades.

Os pais não podem seguir os passos dos filhos e estes não podem repousar nas conquistas paternas e partem de onde os pais chegaram, para novas descobertas e aventuras. Os filhos superam os pais! Assim caminha a civilização.

A personalidade saudável é um bom alicerce para a capacitação profissional. A pessoa qualifica a profissão. O velho ditado quem ama, cuida, deve dar lugar ao novo quem ama, educa!?

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot