Imprimir

Smartphones ativam a ansiedade, diz pesquisa

Já parou para pensar o quanto estamos ligados nos celulares ou inúmeros dispositivos móveis que usamos?

O pior é que os levamos para dormir conosco. Antes de dormir muitas pessoas ficam ligadas nas redes sociais, olhando email, resolvendo coisas do trabalho e, aquelas luzes emitidas por esses aparelhos estimulam a nossa retina e suprime a melatonina, o hormônio que nos deixa sonolento.

Uma pesquisa realizada pelo Doutor David M Claman, diretor do centro de distúrbios do sono do Centro Médico da Universidade de São Francisco, nos Estados Unidos, afirmou que os smartphones estão se tornando um fator determinante da insônia.  Em 2012, o Conselho de Ciência e Saúde Pública da Associação Médica Americana disse que esses meios atrapalham o  e exacerbam os distúrbios do sono. Eles afirmam que a luz produzida nos mantém acordados e interferem nos ritmos circadianos do sono. A pesquisa mostrou ainda que as pessoas que usam tablet até duas horas antes de ir para a cama levam uma hora extra para adormecer.

Essas interrupções também foram assunto para estudos. Em 2011, a Academia Americana de Medicina do Sono constatou que a insônia custa US$ 2.280 em produtividade perdida por trabalhadores norte-americanos todos os anos. Isso custaria à nação até US$ 63 bilhões por ano. Achei interessante falar sobre isso para repensarmos mais nessas atitudes que nos deixa cansados e, consequentemente, nos prejudica de alguma forma. Afinal, uma boa noite de sono faz a gente ser mais produtivo no outro dia, tendo pique para exercer os nossos tão diferentes papeis.

 

 

Fonte: Vida em Conexão

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot