Imprimir

Você se isola? Comece a rever sua conduta

Uma das doenças em nosso século é a desconexão.

As pessoas recebem e passam informações, mas estão desconectadas consigo mesmas e com os outros.O alto índice de doenças mentais e psicológicas é de fundo emocional. Então, nós temos um alvo, um objetivo: a nossa conexão com Deus e a nossa conexão conosco mesmo. Precisamos entender o que se passa dentro de nós. Depois de Deus, você é a pessoa mais importante.

Às vezes você pensa em uma pessoa solitária como um “coitadinho”. Mas você se engana, pois as pessoas se isolam não são “coitadinhos”; geralmente são pessoas hostis, egoístas e que odeiam o bom senso. Vivemos em uma sociedade em que as pessoas buscam um grande número de sites de relacionamentos. O que as leva a isso é justamente a necessidade de conexão. Esse versículo fala exatamente sobre isso. Ele explica porque nós temos necessidades de nos conectar. Conectar é diferente de relacionar. Nós reagimos muitas vezes de maneira insatisfatória com os outros porque estamos desconectados de Deus e de nós mesmo. Mas, podemos ter certeza que é possível desenvolver essas conexões.

“Quem se isola procurará o seu próprio desejo egoísta; estourará contra toda a sabedoria prática”. (Provérbios 18:1)

A primeira coisa a fazer é entender que Deus não nos criou para vivermos isolados. Exemplo: Há pessoas viúvas que querem se casar de novo. Que busca é essa? Que desejo é esse? As pessoas não casam pensando em se separar; casam pensando em ficar juntas e compartilhar a vida juntas. Hoje, nos Estados Unidos, as pessoas se casam em média três vezes e o índice de divórcios é altíssimo. O primeiro casamento geralmente é com alguém que eles conhecem na faculdade. Depois se separam, casam novamente na meia-idade, vivem um tempo, se separam e, então, se casam na velhice. Não é uma regra, mas é um fenômeno que está acontecendo. Por que eles fazem isso? Pela busca de conexão, pois ninguém foi feito para viver isolado, sozinho.

Mas existe uma luta interior em cada um de nós todos os dias. É uma batalha, pois tem de acordar de manhã e pensar: “Eu vou dar o meu melhor sorriso para minha esposa porque ela merece!” Mesmo que a outra pessoa não corresponda, é um treinamento que você está fazendo, é uma barreira que você está quebrando, é uma luta que está vencendo.

 

 

Fonte: Vida em Conexão.

publicidade-1
publicidade-2
publicidade-3

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot