volta as aulas
Imprimir

Volta às aulas sem traumas

Como adaptar a rotina das crianças e das mães à nova fase

A época das férias acabaram, e a volta às aulas nem sempre é tarefa fácil. Aquele velho drama para as crianças e pais, que precisa ser encarado de frente. O período é um momento de adaptação para os pequenos que vão à escola pela primeira vez ou mudaram de instituição de ensino.

Nessa época, muitas crianças, sejam elas marinheiras de primeira viagem ou veteranas, apresentam resistência em retornar à rotina escolar. Para evitar maiores traumas, o segredo é conversar. Pais e educadores precisam estar juntos nessa hora para que o trabalho de cada um seja complementado pelo outro. Algumas medidas podem ser adotadas pelas famílias, neste início de ano letivo. Entre elas, a mudança gradativa do horário de férias, geralmente meio bagunçado, porque o sono pode atrapalhar ainda mais o retorno da criança para a escola.

Ao contrário do que possa parecer, a tranquilidade da criança no primeiro dia de aula não depende dela, mas da confiança dos pais. Muitas vezes eles ficam com medo de deixar a criança na escola, e sem querer transfere esta insegurança e sensação de abandono para seu filho. Para resolver este problema, é recomendável visitar a escola, antes da matrícula. E nos dias que antecedem o início das aulas é interessante levar o filho para que ele conheça a sala que vai estudar. Quando a criança conhece o ambiente de ensino junto dos responsáveis, a facilidade de adaptação aumenta, pois os pequenos sentem que seus pais aprovam o local.

volta às aulas

Para os estreantes na escola, a atenção deve ser redobrada. Afinal o primeiro dia de aula, muitas vezes pode trazer traumas aos que não estão preparados para encarar um novo ambiente, com pessoas totalmente desconhecidas. A insegurança toma conta dos pequeninos e se os pais não souberem como prepará-los, as consequências podem ser imprevisíveis. Além do problema do primeiro dia de aula, outro motivo de preocupação dos pais é a troca de escola. Neste caso, a criança é retirada de um ambiente onde já está adaptada. A solução é sempre o diálogo e estabelecer uma relação de confiança na decisão que foi tomada pelos pais. Eles devem exaltar os pontos positivos do novo colégio, como os novos amigos, a nova professora e quais atividades serão realizadas, mostrando as vantagens da troca. Na realidade, explica o psicólogo, toda mudança é difícil, mas elas são necessárias. Durante toda vida elas terão que se sujeitar a transformações e se as crianças não aprenderem a lidar com isso desde já, mais para frente terão muitas dificuldades para se adaptar ao novo.

 

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba por e-mail novidades exclusivas da Lia Clerot