Dicas

Só a graça de Deus basta!

Quando estou fraco é que me sinto forte

Nos momentos de conflitos e adversidades é comum as pessoas questionarem o por quê estão passando por determinadas situações.

Paulo também passou por muitas dificuldades e momentos de tribulações, nos mostrando a sua fragilidade, mas todos os dias ele fazia algo para se tornar melhor. Às vezes, o espinho nele pode ter sido uma necessidade, uma angústia, mas a Bíblia mostra que quem gerou essa situação foram os anjos de satanás que colocaram o espinho em sua carne. Em oração, ele pediu a Deus que lhe tirasse os espinhos, mas Deus lhe disse que não adiantaria lhe tirar os espinhos, pois seriam eles que o fortaleceria.

E muitas vezes, as pessoas passam por situações parecidas com as de Paulo e não entendem. Todos nós passamos por situações e dificuldades todos os dias, mas quando você começa a perceber esse espinho, você passa a enxergar que somente a graça de Deus lhe basta, pois você crê que Deus vai fazer o milagre.

Mas por que Deus permite que os problemas aconteçam? Não existe um ser humano sem problema, mas não foi Deus que permitiu isso, surgindo desde Adão e Eva e que passamos por eles todos os dias. Muitas vezes, encontramos as dificuldades e achamos que Deus não está ali para nos ajudar, mas nós temos que reconhecer que só conseguimos sair das situações difíceis, de um beco escuro, se estivermos com Deus ao nosso lado, não existe outra saída. A única coisa que consegue te dá paz é o amor e a graça de Deus. 

Muitos dos espinhos que entraram na vida de Paulo, são espinhos que também estão em sua vida e que talvez, você precisava ter para compreender a sua relação com Deus porque quando você coloca a sua fraqueza em Deus é que você se transforma em forte. 

Qual é o espinho que Deus permitiu que você tivesse em sua vida? Reflita sobre isso e  permita Deus falar com você, porque Ele é tudo que você precisa.

4 Comentários

  • Kelli Cristina de Oliveira Cyles

    Amém!
    Não sei se posso chamar de espinho na carne, no meu caso. Talvez o chamasse de “espinho na alma”. Foram perdas, muitas perdas mesmo! Traumas emocionais de toda sorte … A morte levou meu primeiro filho, levou minha mãe aos 48 anos e meu pai assassinado uma semana após meu casamento. Essa última foi a gota d’água, com ela veio um transtorno alimentar, depressão profunda. Muitas situações das quais escreveria um catálogo de dores. Contudo, o amor pelo Senhor não acabou, a fé continua, a vontade de viver ainda existe, a vontade de pregar é uma constante, faz parte da rotina. A convicção que só a graça me basta, vem a cada momento, dias … De tudo um pouco se foi na minha vida. Só não veio a vontade de deixar o Pai.
    Super beijo, Ana Lia.

    • clerotuser

      Nossa Kelli que testemunho forte, fico muito feliz em saber que apesar de todas as adversidades você continua firme. Que Deus continue te abençoando e te dando forças para prosseguir. Um grande beijo, fica com Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?